Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Miss Unicorn

Pedras no caminho? Eu guardo todas. Um dia vou construir um castelo.

Miss Unicorn

Pedras no caminho? Eu guardo todas. Um dia vou construir um castelo.

Era uma vez... com a Kikas

Todos nós temos aquelas histórias embaraçosas de quando éramos crianças, que os nossos familiares insistem em contar cada vez que há um jantar ou almoço de família. E porque não partilha-las com a blogosfera? Assim nasce uma nova rubrica no blog, "Era uma vez...", que tem como objetivo honrar estes nossos momentos.

E a primeira convidada é a Kikas, do blog "Crónicas de Uma Menina da Mamã". Sem mais demoras, vamos ver o que é que ela tem para nos contar:

 

Olá querida Miss Unicorn como estás? Espero que bem, eu já acabei as minhas mini férias de 4 dias e amanhã recomeço, mas são só 4 dias de trabalho porque depois entro de férias :)
Então aqui vai a minha história de infância mais comentada pela família, aquela que ninguém esquece e acho que nunca vai esquecer:
 
- Quando eu era pequenina, ao contrário de agora, era muito tímida, daquelas crianças que não falavam com estranhos e que me escondia atrás das pernas da minha mãe para não falar com ninguém ou para que ninguém me visse. Também era daquelas crianças que não gostava de dar beijinhos, quando podia fugia a sete pés mas obviamente que nem sempre isso era possível! Outro pormenor relevante para esta história é que eu era muito loirinha e tinha (e tenho) os olhos azuis, sendo que os meus pais são ambos morenos com olhos castanhos, não é bizarro é só genético :)
Os meus pais são os dois do Alentejo e íamos lá todos os Verões às festas da terrinha e assim que chegávamos, para além dos meus avós, tínhamos o batalhão de vizinhas à nossa espera e a minha mãe "obrigava-me" a dar um beijinho a cada uma dizendo sempre:"Vá Kikas eu sei que não gostas mas tem que ser, tens que dar um beijinho a todas porque elas gostam de ti", e eu dava, contrariada mas dava.... Certo dia, eu devia ter cerca de 5 ou 6 anos, chegámos à porta da minha avó e eu tinha ido a dormir a viagem toda, logo estava rabugenta comó raio, assim que saímos do carro veio a entourage da vizinhança ter connosco, e entre elas uma vizinha da minha avó que me dizia sempre "Ah tu és tão bonita, tão loirinha e tens os olhos azuis, tu não és filha da tua mãe, ai não és não", ora a dita vizinha aproximou-se de mim nesse dia com a lenga lenga do costume, eu virei-me para a minha mãe as gritos e a choramingar e disse-lhe "Ó mãe tu dizes que estas senhoras gostam de mim mas esta velha está sempre a dizer que eu não sou tua filha, não lhe quero dar beijinhos porque eu não gosto dela e ela pica-me a cara". Parou tudo! Os meus pais, os meus avós e o resto da vizinhança e.... começou tudo a rir às gargalhadas... Eu fugi para dentro de casa a chorar mas não deixei de ter de ouvir um sermão dos meus pais por ter chamado velha à vizinha. Enfim crianças.... O melhor de nós! :)
 
Só gostava de conseguir imaginar a cara da mulher! Muito obrigada Kikas, pela tua participação. Esta rubrica não podia ter começado de melhor maneira!

31 comentários

Comentar post