Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Miss Unicorn

Pedras no caminho? Eu guardo todas. Um dia vou construir um castelo.

Miss Unicorn

Pedras no caminho? Eu guardo todas. Um dia vou construir um castelo.

Sapos do Ano 2017

O Sapos dos Ano 2017 é um concurso criado pela Magda, do blog StoneArt Portugal, com o intuito de dar a conhecer alguns dos melhores cantinhos que existem neste lado da blogosfera. Podem consultar as regras e votar nos vossos blogs preferidos, inseridos em qualquer uma das dez categorias, AQUI.

Porque não são os gostos, os comentários ou os seguidores que fazem os blogs, somos nós.

007A12615190482DB8C2AC34C51C9C28.png

Era Uma Vez... com a Miss Queer

A convidada de hoje é a outra Miss aqui do bairro, a Miss Queer, do blog Dez Segundos, que aceitou o meu convite para partilhar uma história da sua infância connosco. Sem mais demoras, aqui está o que a Miss tem para nós:

Então, então, muito obrigada pelo convite, Miss Unicorn! E bom dia a todos!

Estão preparados para embarcar nesta aventura que foi a minha infância?

Devo dizer-vos que, ao contrário do que acontece agora, em criança tinha muita facilidade em adormecer. Ia ao café com a minha mãe e com uma amiga, adormecia (inclusivamente em pé, encostada ao balcão). Estávamos numa reunião familiar, eu adormecia. Quem me dera ainda ser assim.

Mas, como todos (ou quase todos) sabem, em determinada altura da minha vida, percebi que sou lésbica. Mas nem sempre foi assim. Ao contrário do que digo… eu tive um namorado.

O Fábio vivia na minha rua, os nossos pais (e os avós dele) eram muito amigos, conhecemo-nos desde que eu nasci – isto porque ele é mais velho – e ainda andámos juntos no infantário durante um ano – o meu primeiro e o segundo dele.

Passávamos os dias juntos, quer no infantário quer quando íamos para casa. No batizado da boneca, há fotografias nossas, de mãos dadas, a fazer de pais da boneca, todos fofinhos.

Porém, certo dia, chego a casa e a minha mãe informou-me que o Fábio lá iria com a avó. A campainha tocou e eu desapareci.

Correram a casa à minha procura e não me encontraram. A minha mãe deu-lhes conversa, para ver se eu aparecia e nada. O Fábio continuou à minha procura e não me encontrou. Desistiram. A minha mãe pediu desculpa, seriamente preocupada (e envergonhada), e eles foram embora.

Ele deve ter feito alguma coisa nesse dia e eu não gostei, mas não me lembro o quê. Provavelmente defendeu-me de alguém e eu fiquei com medo dele… Ao ouvir a campainha tocar, escondi-me debaixo da cama e adormeci. Depois de eles se irem embora, a minha mãe lá se lembrou de me procurar naquele sítio tão óbvio e encontrou-me. Acordou-me e perguntou-me o motivo da minha atitude, disse que o Fábio tinha ido embora muito triste. Expliquei que estava com medo dele, que ele era mau. E a minha mãe, mesmo sem compreender, aceitou (entre muito riso). Mas foi contar à avó do Fábio! Fui gozada por estar a dormir debaixo da cama!

O pior… É que nós continuamos amigos. E ele faz questão de me relembrar esta história!

Há poucos anos, fui ter com uma amiga a um quartel (ela é do exército). Qual não é a minha surpresa quando aparece o Fábio e solta um grito «olha a rapariga que adormeceu debaixo da cama!». Imaginam a minha cara?

Uma coisa é certa… Nunca mais me escondi de ninguém debaixo da cama!

 

Muito bom! Obrigada pela tua participação, Miss 

Era Uma Vez... com a Mami

A rubrica Era Uma Vez está de volta, e desta vez a blogger convidada é a Mami, que vem partilhar uma história da sua infância. Caso ainda não conheçam o blog dela, passem por lá!

Obrigada Mami, pela tua participação!

 

 

sou a filha mais velha mas durante muito tempo fui filha única, neta única, sobrinha única…ufa que grande responsabilidade! – claro que na altura não pensava nisso, adorava ser o centro das atenções, ser a dona do mundo! - pelo menos do meu mundo.

tinha eu quase sete anos quando fui informada que iria ter uma irmã. fiquei mega feliz! alguém com quem brincar. as minhas expectativas eram grandes. mas com o passar do tempo fui percebendo que a dada altura só se falava da mana que vinha a caminho. já não me perguntavam pela escola ou pelas minhas brincadeiras, mas sim sobre a mana, o quarto da mana, o nome da mana.

quando a mana nasceu eu já estava farta da mana!

no dia em que fui conhecer a minha mana, o meu papá (meu herói) levou-me a comprar um brinquedo, para eu lhe oferecer – coitado! achava ele que eu ia gostar de oferecer uma coisa à mana, mal sabia ele! bem, lá compramos um peluche, nunca o esqueci, era um panda.

quando chegamos à maternidade, corri para abraçar a minha mamã – parecia que não a via há anos, e ainda ontem estivera com ela – cheia de saudade e carência.

a mamã perguntou: - o que que o papá tem na mão?

- é um panda. - disse eu. de forma desinteressada

- e para quem é? – insistiu a mamã

- para a mana. - respondi.

- queres conhecer a mana e dar-lhe o teu presente? – a mamã estava a tentar, coitada

- encolhi os ombros e respondi: - pode ser.

a mamã apontou para o berço, que não sei como, não tinha visto até a esse momento.

levantei-me arranquei o peluche das mãos do papá (que estava com um sorriso condescendente – daqueles sorrisos patéticos de quem finge que está tudo bem e tem esperança que assim seja).

dirigi-me ao berço, bastante alto para a minha altura, e arremessei o peluche lá para dentro, como quem joga os brinquedos para a caixa quando os está a arrumar.

não me lembro sequer de ter visto um bebé lá dentro!

as reações foram imediatas. as reprimendas. o condenar do meu comportamento, o quanto poderia ter magoado a mana…bla, bla, bla.

eu só queria a minha mamã e o meu papá e aquele ser, aquele intruso, que eu me negava a ver, só tinha vindo estragar tudo! ainda por cima não brincava nem nada!

ainda hoje ouço a minha mãe a contar esta história, sobretudo quando quer realçar o meu mau feitio.

hoje tenho uma excelente relação com a minha irmã, mas que confesso que só começou no final da minha adolescência! 

 

Novo projeto

Quem me conhece sabe que sou fã incondicional daquele grande desporto automóvel, Fórmula 1. Mas, sem um piloto português nem uma corrida que se realize no nosso país, os fãs portugueses, por vezes, acabam por ser um pouco esquecidos. E foi daí que nasceu este novo projeto.

O meu novo blog, o Mundo da Fórmula 1, foi criado com o intuito de passar toda a informação sobre a F1 em português, para os fãs portugueses. Tudo sobre os pilotos, as respetivas equipas e, claro, as corridas serão documentadas lá.

 

header.png

 

 

Follow Friday #09

Hoje é novamente dia de Follow Friday, aqui no Sapo Blogs. Para quem ainda não sabe o que é, o Follow Friday é uma iniciativa para conhecer-mos novos blogs por essa blogosfera. 

O blog que vos trago é recente, mas captou a minha atenção. Chama-se O Meu Jardim Secreto, e a blogger é a Luella Rose. No seu cantinho ela faz reviews de livros e trailers de filmes, e também fala sobre a sua vida pessoal.

Se ainda não conhecem passem por lá!

O fim da saga

Depois de vos ter contado aqui e aqui o que aconteceu depois de uma visita de estudo, chegou o dia em que soubemos as nossas notas. Se leram o primeiro post que fiz sobre isto, sabem que não estava nada confiante. Não me correu bem nem a mim, nem a nenhum dos meus colegas (o que, por um lado, é um alívio saber que não fui a única).

 

Antes de entregar as fichas, o professor mostrou um gráfico com o desempenho da turma. Em 29 alunos, tivemos 2 positivas. Sim, não leram mal. E nas três turmas que foram avaliadas (cerca de 90 alunos) houve 4 positivas, 2 na nossa turma e 2 em outra. 

 

Agora perguntam-me: Miss, tiveste positiva?

Não. Tive 43% e admito que fiquei surpreendida, pensei que ia ter muito menos. A nota mais alta da turma foi 60 e tal, por isso, nada de especial.

 

 

Top 5- Globos de Ouro

Realizou-se ontem mais uma cerimónia dos aclamados Globos de Ouro, e hoje trago ao blog um top 5, com os meus looks preferidos da noite passada. Confesso que foi difícil escolher só 5, mas aqui vai:

 

5- Olivia Culpo

 

4- Sofia Vergara

 

3- Anna Kendrick

 

2- Emma Stone

 

1- Mandy Moore

 

Quais são os vossos looks preferidos da gala dos Golden Globes 2017?

(Todas as imagens foram retiradas da internet)

 

Follow Friday #08

Primeira sexta feira do ano tem direito ao primeiros Follow Friday de 2017, o oitavo aqui no blog.

O blog que hoje vos trago iniciou o seu percurso na blogosfera esta semana, mas por ser alguém que me é muito próximo e de quem eu gosto muito, tinha de ter um lugar aqui. O que acontece quando temos de trabalhar diariamente com o público? O blog Crónicas de uma secretária conta as peripécias que se vive ao trabalhar num consultório clínico.

Vamos dar as boas vindas à Secretária com este Follow Friday!

Pergunta para um milhão

Há uns tempos fomos a Lisboa, no âmbito de várias disciplinas, e um dos sítios que visitámos foi o Museu da Presidência da República, para a disciplina de História.

O professor de história, que é uma pedra de gelo, disse que iria colocar no teste uma pergunta sobre a visita. Tudo bem, uma pergunta não dói muito. Mas hoje ele lembrou-se de aparecer na aula com uma ficha de trinta e três perguntas. Ora acontece que, o nosso grupo (que não era o mesmo desse professor) chegou atrasado ao Museu e a visita foi mais curta. Portanto, metade das coisas que apareciam na ficha não nos tinham sido ditas.

 

Saimos de lá completamente desmoralizados, com quase metade das perguntas por responder, a outra metade errada. Acabei por usar o Dr. Google para ver algumas respostas, daquelas perguntas que me tinham deixado mais confusa. Mas, curiosamente, houve uma que nem na internet consegui encontrar, e claro, que pode ser que alguém na blogosfera me consiga ajudar:

 

Qual foi o Presidente da República mais novo de sempre?

 

Atentamente,

Uma estudante em apuros.

Era Uma Vez... com a Ana Rita

2017 começa bem aqui no blog, com o retorno da rubrica "Era Uma Vez", onde os bloggers convidados partilham peripécias suas de infância! 

A primeira convidada deste ano é a Ana Rita, dos blogs "Conversas, Café e Sorrisos", "We Fashion" e o mais recente projeto "Mães mais que [im]perfeitas".  Vamos ver o que ela tem para nos contar:

 

 

Era uma vez uma menina de 6 anos que sonhava com uma bicicleta cor de rosa com fitinhas no guiador e um cesto para levar as suas bonecas a passear.

Depois de muito insistir com os seus papás eles acederam ao pedido da menina e compraram a TAL bicicleta embrulhada cuidadosamente no Natal de 1993. A menina ficou felicíssima com a sua bicicleta que alem de tudo ainda tinha quatro rodinhas em vez de duas para facilitar a aprendizagem. Com muita paciência o pai da menina começou a ensiná-la a andar de bicicleta só que de cada vez que ele tentava tirar as rodinhas era um problema.

 

Mais propriamente uma peixeirada porque a menina punha-se a gritar desalmadamente a plenos pulmões no meio da rua como se o pobre homem a tivesse a tentar matar à bordoada.

Moral da história um, depois de uma infinidade de tentativas falhadas, gritarias e muita vergonha o pobre homem de seu nome "meu pai" mandou a menina, de seu nome Ana Rita à fava enquanto a ervilha não dá e a linda bicicleta cor de rosa com fitinhas no guiador, um cestinho branco para as bonecas e rodinha atrás foi encafuada na arrecadação como se de um qualquer vírus contagioso se tratasse e só saiu de lá para ser oferecida a uma qualquer criança que lhe desse o uso que a primeira dona - por ser uma piegas do pior - não deu!

Moral da história dois, a menina que adorava a sua bicicleta mas que berrava como se estivesse a ser esfolada viva cada vez que se montava nela NUNCA aprendeu a andar de bicicleta e por isso passou-lhe uma das melhores coisas da infância/adolescência ao lado - andar de bike com os fellow amigos.

 

E pronto foi assim que o meu pobre pai perdeu a paciência comigo (e olhem que ele tem a rodos)  e desistiu de me tentar ensinar a andar de bicicleta.

 

Obrigada Ana!